Você está aqui: Entrada Notícias Notícias em rodapé Miguel Costa Gomes toma posse e assegura uma presidência aberta e colaborativa

Miguel Costa Gomes toma posse e assegura uma presidência aberta e colaborativa

Realizou-se, no dia 26 de outubro, o ato público de instalação dos novos órgãos municipais do concelho de Barcelos nos próximos quatro anos. No seu discurso, Miguel Costa Gomes, Presidente da Câmara Municipal reeleito, manifestou abertura para trabalhar em conjunto com as outras forças políticas e disponibilidade para acolher propostas que sirvam o concelho e os barcelenses.
O Auditório dos Paços do Concelho foi pequeno para acolher os barcelenses e convidados que quiseram estar presentes na tomada de posse do novo Executivo e da Assembleia Municipal.
Uma sessão marcada pelo discurso do Presidente da Câmara Municipal reeleito, Miguel Costa Gomes, que, após ter sido empossado, agradeceu aos barcelenses o voto de confiança depositado na sua equipa e no seu projeto de cidadania e reafirmou “a mesma coragem e a mesma determinação para continuar a trabalhar por Barcelos” sob o signo de uma presidência aberta, recetiva e colaborativa, manifestando “inteira disponibilidade para acolher as opiniões e os contributos dos cidadãos empenhados em soluções para a cidade e para as freguesias”.
Perante um auditório atento, Miguel Costa Gomes, que inicia agora o seu terceiro e último mandato, fez questão de assegurar que a equipa renovada que preside irá honrar os compromissos assumidos no ato eleitoral de 1 de outubro: “O compromisso político que apresentámos aos barcelenses tem a força moral de um contrato. Cada uma das medidas que constituem esse compromisso será por nós cumprida integralmente durante o mandato que hoje se inicia”.
Miguel Costa Gomes apontou, durante a sua intervenção, o caminho para os próximos quatro anos, assegurando que “serão feitas apostas concretas, entre outras, na reabilitação urbana e na requalificação da zona ribeirinha, no Caminho Português de Santiago, no turismo e na animação artística e cultural, na criação de condições para o investimento privado e para centros de criatividade, na participação dos cidadãos e na manutenção das políticas de descentralização nas freguesias, na melhoria das infraestruturas em geral e na requalificação das unidades de saúde, na continuação de uma política educativa de qualidade, no desenvolvimento sustentável e na melhoria da mobilidade e do ambiente, no reforço da coesão e apoio social, na promoção do desporto e no apoio à juventude”.
Dirigindo-se a todos os eleitos, Miguel Costa Gomes endereçou votos de um bom mandato aos que agora iniciam funções “em prol dos barcelenses”, lembrando que “é para os cidadãos que aqui estamos e é para eles que dirigimos os recursos públicos, em obediência aos princípios de uma gestão empenhada, responsável, rigorosa e transparente”.
A propósito do atual cenário político, o Presidente da Câmara Municipal reeleito lançou um desafio às forças políticas representadas na Assembleia: que “estejam disponíveis para, connosco, concertar caminhos e soluções ou, como tantas vezes afirmei, que façam parte da solução e nunca do problema”.
As últimas palavras de Miguel Costa Gomes foram para a Assembleia Municipal e para as Juntas de Freguesia. À maior Assembleia Municipal do país e “principal fórum da democracia do concelho”, manifestou, em nome do executivo, “total disponibilidade e lealdade institucional”, lembrando, no entanto, que “a todos os deputados compete contribuir para a discussão séria, empenhada e leal dos problemas”, acrescentando, “pois é de Barcelos e dos barcelenses que falamos quando nos reunimos neste órgão”. Às juntas de freguesia, eleitas, desde o seu primeiro mandado, “como parceiros privilegiados do projeto de desenvolvimento pensado para o concelho”, promete continuar com as políticas de descentralização, reforçando, com esta posição, “a capacidade de intervenção das freguesias junto das populações” e “dignificando o papel do Presidente de Junta, dando-lhes espaço e autonomia para o desenvolvimento dos seus projetos e para a gestão das prioridades na freguesia”.
A sessão de instalação dos novos órgãos municipais foi conduzida pelo Presidente da Assembleia Municipal cessante – Duarte Nuno Pinto – que deu posse, primeiramente, aos 11 membros eleitos para a Câmara Municipal. No executivo camarário terão assento, além de Miguel Costa Gomes, Armandina Saleiro, José António Beleza, Anabela Real e Francisco Rocha (eleitos pelo PS), Mário Constantino, José Novais, Mariana Carvalho e António Ribeiro (eleitos pela coligação PSD/CDS) e Domingos Pereira e José Pereira (eleitos pelo Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro”).
A sessão prosseguiu com a tomada de posse dos membros da Assembleia Municipal, constituída pelos 62 deputados municipais eleitos diretamente (26 pela lista do Partido Socialista, 19 pela lista do Partido Social Democrata, 3 pela lista do CDS-Partido Popular, 11 pela lista do Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro”, 2 pela lista do Bloco de Esquerda e 1 pela lista da CDU-Coligação Democrática Unitária) e os 61 presidentes das juntas de freguesia eleitos (27 pelo Partido Socialista, 17 pelo Partido Social Democrata, 10 pelo Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro” e 7 por candidaturas independentes).
Horácio Barra é o novo Presidente da Assembleia Municipal
Após a instalação dos órgãos autárquicos, realizou-se a primeira reunião da Assembleia Municipal para eleger a nova mesa que fará a condução dos trabalhos até 2021. Foram apresentadas duas candidaturas a votação, acabando por sair vencedora a lista proposta pela bancada do PS (com 74 votos a favor), sendo eleitos Horácio Barra, como Presidente da Assembleia Municipal, e Ana Maria Silva e António Saleiro, como secretários.
Consulte aqui o discurso de tomada de posse do Presidente da Câmara Municipal de Barcelos na íntegra

Consulte aqui o discurso de tomada de posse do novo Presidente da Assembleia Municipal de Barcelos na íntegra

 

O Auditório dos Paços do Concelho foi pequeno para acolher os barcelenses e convidados que quiseram estar presentes na tomada de posse do novo Executivo e da Assembleia Municipal.

Uma sessão marcada pelo discurso do Presidente da Câmara Municipal reeleito, Miguel Costa Gomes, que, após ter sido empossado, agradeceu aos barcelenses o voto de confiança depositado na sua equipa e no seu projeto de cidadania e reafirmou “a mesma coragem e a mesma determinação para continuar a trabalhar por Barcelos” sob o signo de uma presidência aberta, recetiva e colaborativa, manifestando “inteira disponibilidade para acolher as opiniões e os contributos dos cidadãos empenhados em soluções para a cidade e para as freguesias”.

Perante um auditório atento, Miguel Costa Gomes, que inicia agora o seu terceiro e último mandato, fez questão de assegurar que a equipa renovada que preside irá honrar os compromissos assumidos no ato eleitoral de 1 de outubro: “O compromisso político que apresentámos aos barcelenses tem a força moral de um contrato. Cada uma das medidas que constituem esse compromisso será por nós cumprida integralmente durante o mandato que hoje se inicia”.

Miguel Costa Gomes apontou, durante a sua intervenção, o caminho para os próximos quatro anos, assegurando que “serão feitas apostas concretas, entre outras, na reabilitação urbana e na requalificação da zona ribeirinha, no Caminho Português de Santiago, no turismo e na animação artística e cultural, na criação de condições para o investimento privado e para centros de criatividade, na participação dos cidadãos e na manutenção das políticas de descentralização nas freguesias, na melhoria das infraestruturas em geral e na requalificação das unidades de saúde, na continuação de uma política educativa de qualidade, no desenvolvimento sustentável e na melhoria da mobilidade e do ambiente, no reforço da coesão e apoio social, na promoção do desporto e no apoio à juventude”.

Dirigindo-se a todos os eleitos, Miguel Costa Gomes endereçou votos de um bom mandato aos que agora iniciam funções “em prol dos barcelenses”, lembrando que “é para os cidadãos que aqui estamos e é para eles que dirigimos os recursos públicos, em obediência aos princípios de uma gestão empenhada, responsável, rigorosa e transparente”.

A propósito do atual cenário político, o Presidente da Câmara Municipal reeleito lançou um desafio às forças políticas representadas na Assembleia: que “estejam disponíveis para, connosco, concertar caminhos e soluções ou, como tantas vezes afirmei, que façam parte da solução e nunca do problema”.

As últimas palavras de Miguel Costa Gomes foram para a Assembleia Municipal e para as Juntas de Freguesia. À maior Assembleia Municipal do país e “principal fórum da democracia do concelho”, manifestou, em nome do executivo, “total disponibilidade e lealdade institucional”, lembrando, no entanto, que “a todos os deputados compete contribuir para a discussão séria, empenhada e leal dos problemas”, acrescentando, “pois é de Barcelos e dos barcelenses que falamos quando nos reunimos neste órgão”. Às juntas de freguesia, eleitas, desde o seu primeiro mandado, “como parceiros privilegiados do projeto de desenvolvimento pensado para o concelho”, promete continuar com as políticas de descentralização, reforçando, com esta posição, “a capacidade de intervenção das freguesias junto das populações” e “dignificando o papel do Presidente de Junta, dando-lhes espaço e autonomia para o desenvolvimento dos seus projetos e para a gestão das prioridades na freguesia”.

A sessão de instalação dos novos órgãos municipais foi conduzida pelo Presidente da Assembleia Municipal cessante – Duarte Nuno Pinto – que deu posse, primeiramente, aos 11 membros eleitos para a Câmara Municipal. No executivo camarário terão assento, além de Miguel Costa Gomes, Armandina Saleiro, José António Beleza, Anabela Real e Francisco Rocha (eleitos pelo PS), Mário Constantino, José Novais, Mariana Carvalho e António Ribeiro (eleitos pela coligação PSD/CDS) e Domingos Pereira e José Pereira (eleitos pelo Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro”).

A sessão prosseguiu com a tomada de posse dos membros da Assembleia Municipal, constituída pelos 62 deputados municipais eleitos diretamente (26 pela lista do Partido Socialista, 19 pela lista do Partido Social Democrata, 3 pela lista do CDS-Partido Popular, 11 pela lista do Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro”, 2 pela lista do Bloco de Esquerda e 1 pela lista da CDU-Coligação Democrática Unitária) e os 61 presidentes das juntas de freguesia eleitos (27 pelo Partido Socialista, 17 pelo Partido Social Democrata, 10 pelo Movimento Independente “Barcelos, Terra de Futuro” e 7 por candidaturas independentes).

 

Horácio Barra é o novo Presidente da Assembleia Municipal

Após a instalação dos órgãos autárquicos, realizou-se a primeira reunião da Assembleia Municipal para eleger a nova mesa que fará a condução dos trabalhos até 2021. Foram apresentadas duas candidaturas a votação, acabando por sair vencedora a lista proposta pela bancada do PS (com 74 votos a favor), sendo eleitos Horácio Barra, como Presidente da Assembleia Municipal, e Ana Maria Silva e António Saleiro, como secretários.

 

Consulte aqui o discurso de tomada de posse do Presidente da Câmara Municipal de Barcelos na íntegra

Consulte aqui o discurso de tomada de posse do Presidente da Assembleia Municipal de Barcelos na íntegra

classificado em: