Você está aqui: Entrada Notícias Arquivo de Notícias 2014 Outubro S. Sebastião é tema de exposição e conferências no Museu de Olaria

S. Sebastião é tema de exposição e conferências no Museu de Olaria

A Câmara Municipal de Barcelos inaugura no próximo sábado, dia 18 de outubro, no Museu de Olaria a exposição “S. Sebastião, Devoção Régia e Popular”. A iniciativa inclui uma conferência, às 17h00, na sala multimédia do Museu, com o mesmo nome da exposição, proferida pelo professor Jorge Matos.

 

A exposição é composta por trabalhos de artesãos barcelenses alusivos a S. Sebastião, como Júlia Ramalho e António Ramalho, Júlia Côta, Manuel Macedo, Irmãos Baraça, Irmãos Mistério, Joaquim Esteves, Conceição Sapateiro, João Ferreira, entre outros; por trabalhos dos pintores Afmach, Sandra Longras, Carlos Basto e António Cunha, Alfredo Barros, António Alba Dias, Bernardo Aranha e Paulo Tanoeiro; por esculturas de Maria Leal da Costa e desenhos de João Cutileiro; por imagens de arte sacra vindas, entre outros, do Mosteiro de S. Salvador de Palme, Capela de S. Sebastião de Quintiães e das Igrejas de Quintiães, Panque, Aborim, Pereira, Gilmonde, Milhazes e Carvalhal.
Em comum estas propostas têm a figura de S. Sebastião, embora com leituras e interpretações artísticas diversas – desde a iconografia clássica religiosa à imagética popular deste mártir da Igreja Católica, concretizada numa grande variedade de materiais.
Na abordagem à vida e à importância do Santo na Igreja, na tradição régia e popular, ressalta a associação da imagem da sua morte à da crucificação de Cristo e ao mito messiânico do rei D. Sebastião. De facto, este monarca, que nasceu a 20 de janeiro de 1554 (no dia da celebração litúrgica anual de S. Sebastião, e data da sua morte) e sobre quem recaíam as esperanças de salvação do reino, empenhou-se na veneração do Santo, expandindo o seu culto. Na ação governativa, a figura de S. Sebastião esteve sempre presente, nomeadamente com a criação da Ordem Militar de S. Sebastião, Dita da Frecha, sendo uma inspiração da expedição militar de 1580 a Alcácer-Quibir.
Sobre a temática de S. Sebastião,  realiza-se também no dia 21 de novembro, pelas 17h00, uma outra conferência, na sala multimédia do Museu de Olaria intitulada "o hemisfério da portugalidade de S. Sebastião" pelo professor Cunha e Silva e por Alfredo Côrte-Real.
A exposição, de entrada livre, estará patente até dia 4 de janeiro de 2015 na sala da capela do Museu de Olaria, antiga capela de São Sebastião.
Pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h30; sábados e domingos das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

A exposição é composta por trabalhos de artesãos barcelenses alusivos a S. Sebastião, como Júlia Ramalho e António Ramalho, Júlia Côta, Manuel Macedo, Irmãos Baraça, Irmãos Mistério, Joaquim Esteves, Conceição Sapateiro, João Ferreira, entre outros; por trabalhos dos pintores Afmach, Sandra Longras, Carlos Basto e António Cunha, Alfredo Barros, António Alba Dias, Bernardo Aranha e Paulo Tanoeiro; por esculturas de Maria Leal da Costa e desenhos de João Cutileiro; por imagens de arte sacra vindas, entre outros, do Mosteiro de S. Salvador de Palme, Capela de S. Sebastião de Quintiães e das Igrejas de Quintiães, Panque, Aborim, Pereira, Gilmonde, Milhazes e Carvalhal.

Em comum estas propostas têm a figura de S. Sebastião, embora com leituras e interpretações artísticas diversas – desde a iconografia clássica religiosa à imagética popular deste mártir da Igreja Católica, concretizada numa grande variedade de materiais.

Na abordagem à vida e à importância do Santo na Igreja, na tradição régia e popular, ressalta a associação da imagem da sua morte à da crucificação de Cristo e ao mito messiânico do rei D. Sebastião. De facto, este monarca, que nasceu a 20 de janeiro de 1554 (no dia da celebração litúrgica anual de S. Sebastião, e data da sua morte) e sobre quem recaíam as esperanças de salvação do reino, empenhou-se na veneração do Santo, expandindo o seu culto. Na ação governativa, a figura de S. Sebastião esteve sempre presente, nomeadamente com a criação da Ordem Militar de S. Sebastião, Dita da Frecha, sendo uma inspiração da expedição militar de 1580 a Alcácer-Quibir.

Sobre a temática de S. Sebastião,  realiza-se também no dia 21 de novembro, pelas 17h00, uma outra conferência, na sala multimédia do Museu de Olaria intitulada "o hemisfério da portugalidade de S. Sebastião" pelo professor Cunha e Silva e por Alfredo Côrte-Real.

A exposição, de entrada livre, estará patente até dia 4 de janeiro de 2015 na sala da capela do Museu de Olaria, antiga capela de São Sebastião.

Pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h00 às 17h30; sábados e domingos das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

 

classificado em: