Você está aqui: Entrada Notícias Arquivo de Notícias 2011 Abril Jornadas de Educação para a Saúde: Presidente do Município de Barcelos apela para o fim da violência

Jornadas de Educação para a Saúde: Presidente do Município de Barcelos apela para o fim da violência

Mais de 500 pessoas participaram nas quintas Jornadas de Educação para a Saúde, em Barcelos, nos dias 14 e 15 de Abril, este ano sobre o amplo tema a violência e as suas diferentes formas de expressão.

Numa organização do Pelouro da Juventude da Câmara Municipal de Barcelos, a iniciativa pautou-se pelo dinamismo, pela participação activa de estudantes, de profissionais das áreas da saúde e da educação e dos mais reputados oradores.

Foi unânime a apreciação das centenas de participantes, o conteúdo dos painéis científicos apresentados foi «bastante adequado», os temas e assuntos abordados foram «úteis e actuais» e o evento contribuiu para o enriquecimento pessoal e profissional dos participantes. Dados que fizeram destas Jornadas de Educação para a Saúde 2011 um enorme sucesso.

Presente na iniciativa, o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos lembrou a importância da discussão de um tema que continua actual e é transversal a jovens, menos jovens e idosos, tal como a todas as classes sociais. Para Miguel Costa Gomes, esta iniciativa veio «intensificar a discussão sobre as diferentes formas de violência», lembrando que o fim da mesma deve «preocupar» toda a população.

 

Dois dias de programa muito intenso

 

As quintas Jornadas de Educação para a Saúde foram organizadas pela Casa da Juventude da Câmara Municipal de Barcelos em parceria com o Agrupamento de Centros de Saúde Cávado III – Barcelos Esposende, no âmbito do projecto “Agarra-te à Vida” da Casa da Juventude. O programa deste ano foi muito diversificado com um grande objectivo central, «consciencializar para a problemática e intervenção no domínio das violências», como lembrou a Vereadora da Acção Social da Câmara Municipal de Barcelos, Ana Maria Silva, na sessão de encerramento da iniciativa.

As jornadas deram ainda a possibilidade a entidades e instituições de apresentarem projectos na área da educação para a saúde, como foram os casos do programa “Saúde 24 – Educação para a Saúde”, do projecto “Formas de Intervenção no Crime de Violência Doméstica – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima”, da comunicação livre sobre “O Educador Comunitário em Educação para a Saúde”, por Maria Augusta Faria e Maria Lúcia Martins; ou ainda a comunicação livre “Comportamentos Disruptivos, Qualidade da Relação Pedagógica e Saúde Ocupacional em Contexto Escolar: Um estudo exploratório numa escola portuguesa”, por Paula Machado e Sílvia Moreira.

Ao longo de dois dias, foram apresentados painéis sobre violência infantil, violência escolar, violência no namoro, violência doméstica e violência no trabalho, por mais de duas dezenas de oradores das mais variadas instituições, essencialmente de ensino superior e entidades ligadas à saúde.